Causando na ECO/UFRJ

Hoje acordei causando. Cheguei cedo na aula de Legislação e Ética em Publicidade e Propaganda e lá estava o professor com cara de cansado e irritado por estar ali. Eram 09:30 e não tinha nenhuma alma viva na sala. Eu pergunto: “Que horas começa essa aula mesmo?” e ele com a maior naturalidade: “09:30”. Ainda espero mais uns 20 minutos para que ele resolva então começar a aula para os 5 alunos presentes.

A sala vai enchendo aos poucos e ele começa a ler os artigos do código de ética de publicidade. Ele avisa que não tem pasta para que nós possamos tirar xerox e acompanhar a leitura enfadonha e ainda não teve tempo de enviar os arquivos para os alunos. Estamos em Março. Segue a leitura em voz lenta e repetitiva. Olho ao meu redor, um aluno único acompanha o texto no ipad enquanto os outros 20 estão focados nos seus celulares ou dormindo.

Eu não tenho mais a capacidade de focar minha atenção durante tanto tempo em tamanha chatice. Muito menos meus colegas mais novos que eu. Somos alunos de comunicação, estamos conectados o dia inteiro! O atention span dos jovens não é mais o mesmo e parece que alguns professores se recusam a se adaptar a isso. O cara não tem a sensibilidade de olhar pra turma e perceber que apenas UM aluno está prestando atenção? Mesmo que eu queira em poucos minutos minha mente se vai para longe dali. É chato demais ouvir um cara ler artigos e leis sentado em sua mesa sem nenhum tipo de estímulo.

Eu pressiono: “Professor, você tem como colocar o texto na televisão? Fica difícil acompanhar assim.” e ele, cagando: “Não, não tenho o texto no tablet”.

A situação é tão absurda que minha imaginação já começa a imaginar que são a UFRJ e empresas pagando esse professor para não ensinar as legislação aos alunos pensantes da ECO. Afinal, para criticá-la é preciso conhecê-la. E existe algum pedaço de legislação que mais precisa ser reformulado do que o que permite essa publicidade predatória que destrói valores e singularidades como se fosse confete dos dias atuais?

Eu não sou palhaça e meu tempo é valioso. Não posso aceitar que a minha universidade permita uma aula sem a mínima metodologia como a desse professor que está ali em um trabalho que é um dos meus sonhos de vida, professor da Escola de Comunicação da UFRJ, como se estivesse fazendo um favor pra alguém. Resolvi vir pra casa assistir CS50, o curso de programação de Harvard que tem uma das metodologias de ensino mais impressionantes que já vi na vida. Penso que hoje em dia o mercado é global. Como posso competir com esses jovens depois dessa merda dessa aula?

Decido partir mas acho injusto ter que “respeitar” um professor que na minha opinião está desrespeitando a mim e subestimando a minha inteligência. Interrompo a aula, me levanto e digo: “Bom gente, eu quero aprender. Acho importantíssimo aprender legislação. Mas essa metodologia de aula, pra mim, não dá.” And I storm out the room.

Não como ficaram os coleguinhas de turma. Chocados provavelmente pelo menor indício de conflito em suas vidas. Mas espero que pelo menos um ou outro tenha percebido que nós temos que exigir melhores aulas!

Leave a Reply

Your email address will not be published.