Archive for Magia

Toma essa.

Como podemos estar vivendo esses tempos? Me pergunto sempre, o que a humanidade fez para merecer tamanha interferência em sua integridade enquanto seres do planeta terra? É algo muito maior mesmo, que acontece no plano dos Deuses ou mesmo do espaço cosmos (sim, me refiro aos alienígenas).

A raíz de tudo? Fazer com que os seres humanos não acreditem nas verdades que lhe fazem um ser deste planeta.

Primeira: a mais básica de todas – ser humano é ser um animal em pura conexão com a terra, seu planeta. A terra é um ser vivo, que respira, tem metabolismo, é capaz de dar vida, alimentar, energizar, purificar, se comunicar e influenciar seus filhos, assim como uma mãe leoa, coelha ou humana. O corpo humano naturalmente precisa estar em contato com a natureza, com água limpa e selvagem direto de um rio, diariamente com fogo e respirando ar puro – terra, água, fogo e ar. Ser humano não é ser humano sem o contato com os elementos primordiais da terra que fazem de nós quem somos. Terra: corpo e matéria, água: emoções, fogo: espírito e ar: mente.

Seguimos: Para sentir-se saudável e verdadeiramente vivo, o ser humano precisa estar compartilhando espaço com outras espécies, especialmente espécies de tamanho ou poder de ameaça semelhante a ele desarmado de tecnologia. Cobras, escorpiões, aranhas, marimbondos, jaguares, crocodilos estão todos aí para fazer você se sentir vivo, alerta, rápido, esperto, acordado. O corpo precisa transitar pela floresta e realizar movimentos disformes e orgânicos de exploração da natureza em estado de atenção para possíveis ameaças. Aos poucos liberta-se o instinto esquecido e cria-se uma confiança no próprio corpo porque é ele que avisa, ele que sente, ele que está em alerta naturalmente enquanto você se diverte com as belas flores e toma um delicioso banho de cachoeira.

Basicamente: ser humano é ser natureza também.

Depois desta verdade escondida, passamos para a próxima. Homens e mulheres são seres totalmente diferentes! Escondemos essa, criamos movimentos inteiros de mulheres em estado suicida defendendo que são iguais aos homens. Dentro de uma sociedade totalmente machista, as mulheres (o sexo dominante há milhares de anos atrás, o sexo capaz de dar a vida, capaz de se comunicar com a terra, que é muito mais forte em seu campo emocional e capaz de amar e curar como um homen jamais poderia) decidem abrir mão de toda sua energia feminina e devagar começam a tornar-se homens, trocar de energia internamente provocando o desequilíbrio energético mais violento na terra. O movimento é compreensível. O sexo dominante quer retornar ao seu posto, porém para que isso seja possível, o mundo precisa mudar para que seja mais feminino e não as mulheres que tem que mudar para adaptar-se ao mundo masculino em que vivemos. Em um mundo feminino é possível a paz de gêneros. Em um mundo masculino tudo que é possível é a guerra. O instinto feminino selvagem reprimido está provocando esta desesperada transformação dentro das mulheres. Não é a toa que vemos um crescimento enorme de pessoas trans na sociedade – é só uma materialização e externalização do que já está acontecendo internamente e energeticamente dentro da maioria das mulheres no planeta. E no fim das contas, o homem também está por se matar porque à partir do momento em que as mulheres assumirem o posto dos homens de protetor, provedor, equilibrado, fisicamente forte, explorador, corajoso e criarem seus reservatórios de sémen, os homens não terão mais função neste planeta a não ser de guardiões da energia feminina. Todos os homens tornarão-se gays.

Próxima verdade escondida: tudo que existe na terra é a matéria. Desconecta-se o homem de seu maior potencial e prazer, a conexão com os espíritos. Arranca-lhe fora a sabedoria de que este mundo é uma combinação de diversas dimensões e nós temos capacidade de transitar por elas, provavelmente por alguma boa razão. Diz-lhe desde o momento que nasceu que magia não existe, que é impossível manipular energia (até porque nem se fala mais em energia), não temos conexão com os elementos, não existe telepatia, não existem os clarisentidos, não é possível mover objetos com a mente silenciosa e focada, não é possível transformar-se em animais, não é realidade atravessar paredes, super poderes só no cinema com efeitos especiais. Você é um pedaço de carne. Cria-se uma proposta de vida CHATA em que deve-se crescer, educar-se para tornar-se parte do sistema, comprar, ver televisão, sair pra beber, usar drogas, fazer turismo, casar, ter filhos e implantar o sistema na cabeça deles também. Cria-se então uma série de objetos que vão influenciar a sua mente o dia inteiro, tornando-a fraca, incontrolável, barulhenta assim como o mundo ao seu redor e que vão diminuir seus poderes, acabar com a sua intuição e te botar pra dormir acordado. Já parou pra pensar o que aconteceria se você parasse de beber, fumar, comprar, sair pra comer, ver televisão e ir ao cinema? O que tem pra fazer? MUITO. Mas lhe disseram que esse muito não existe para que você siga nessa sua realidade de pedaço de carne.

Outra: todos os seres humanos são iguais. NÃO são. Tudo, absolutamente tudo, em cada um, é diferente. Nós somos uma combinação de energia alquimicamente programada pelos nossos chackras. Nossos corpos vem programados perfeitamente para nossas missões. Se o cara nasceu pra nadar, tem mais pele entre os dedos, se nasceu pra cantar, tem uma garganta que abre mais, se nasceu para dançar tem o corpo mais flexível. Todos temos diferentes missões e desejar a missão do outro é perda de tempo. É preciso aceitar que talvez sua missão seja ser padeiro e experimentar o amor pelo pão sagrado e não dono de start-up. A televisão cria um ideia de que algumas missões são melhores que as outras, que você deve desejar sei lá o que pra sua vida… É preciso aceitar que você não nasceu para ser rico, que quase ninguém nasceu pra isso porque riqueza e acúmulo não é natural deste planeta. É só olhar pra outras especies e ver que nenhuma acumula nada.

Por causa da desconexão com a realidade espiritual do planeta, acabaram os rituais de entrada e saída da matéria. Os nascimentos sempre foram feitos pela parteira que não era uma médica e sim uma xamã que fazia a passagem segura da alma pra dentro do corpo, sem isso, outros seres podem interferir com este processo, entrando em corpos e gerando um mundo semelhante daquele de onde os próprios vem. Sim, temos aliens  e demônios em roupas de homens comandando o mundo por aí. Pela mesma causa, a morte tornou-se um processo totalmente solto e não há mais garantia de paraíso. Muitas almas não conseguem fazer a passagem correta e ficam perdidas, vagando por este planeta e por isso vivemos a crise de entidades obsessoras no planeta. Estas entidades se alimentam de energias negativas e provocam pensamentos e sentidos negativos para sobreviver. E não necessariamente foram pessoas más que não podem voltar para sua casa espiritual, pode ser alguém simples, normal como você que simplesmente não teve suporte algum na hora de fazer sua passagem.

Energia elétrica tem vibração masculina e agressiva, ela puxa a energia feminina, outro motivo que as mulheres estão se masculinizando com tanta facilidade. Há uma troca de energia corporal dentro das cidades que não tem natureza para fazer a troca, neutralização e purificação da energia. Por isso as pessoas estão mais agressivas, mais tensas, mais estressadas, mais irritadas. Excesso de energia elétrica, masculina. Entidades também se alimentam desta energia e interagem com os objetos por ela alimentados, especialmente a internet. Elas estão nos tubos, na vibração, nos leds, nas telas… Quando nós nos conectamos – colocamos nossa consciência em um filme, numa tela, num texto, estamos fazendo uma troca de energia natural humana com energia elétrica, sintética, não natural.

E a verdade final que não querem que você saiba: você precisa de dinheiro. Só é preciso dinheiro para viver em um sistema baseado em dinheiro. Nessa terra, se plantando tudo dá. É preciso comprar os legumes uma vez na vida e já se tem o material para plantá-los. É possível produzir tudo que você necessita se lhe for ensinado desde criança a viver em harmonia com a terra. Seu vício em conforto é a única coisa que te separa desta realidade além do seu medo do outro – de quem você vai precisar para viver de maneira sustentável pois solidão é uma necessidade do capital.

O mundo está acabando, acima de tudo, pela falta de consciência das dinâmicas energéticas e espirituais naturais do planeta terra. Ser humano é ser conectado com a terra e seus rituais, seus elementos, seus animais, suas plantas.

E, só pra te lembrar de mais uma mentira que lhe foi dita a vida toda: quem acredita em energia, espíritos, entidades, alienígenas e abundância é maluco.

Toma essa.

Como ter uma árvore amiga

Cada partezinha da grande Alma tem suas propriedades e habilidades de conexão com o campo energético da Terra. Animais estão conectados através do seu instinto, seres humanos são um tipo de animal que além do instinto, se conectam através do seu inconsciente. Hoje vivemos um momento de transição e evolução da espécie onde essa nossa habilidade de acesso está sendo trazida para a consciência, o que desencadeará uma enorme mudança em toda a construção futura da nossa espécie. Nós, assim como as formigas e as abelhas, somos uma espécie construtora e, diferente de todas as outras, somos uma espécie criadora. Acho #chique.

De uma maneira ou de outra, todas as espécies estão em contato direto ou indireto com o enorme animal que habitamos: a Terra. Porém uma espécie tem esse contato profundo através de suas maravilhosas raízes: são as Árvores! As árvores estão aqui há milhares de anos, receberam o privilégio da imortalidade, assim como os Deuses. Elas já viram de tudo. Claro que ver aqui tem um significado um pouco mais complexo do que a interpretação de ondas de luz por um órgão. Elas veem através do seu sentir. São capazes de sentir tudo que se passa no planeta e isso inclui tudo que se passa com você.

Ao se conectar com uma árvore, ela já sabe de tudo sobre você porque ela não precisa das suas palavras para te conhecer, o seu campo energético se mistura com o dela em um momento de conexão verdadeira e assim ela tem acesso a todas suas memórias, crenças, histórias, sentimentos, traumas… Tudo que está no seu campo. Assim ela utiliza toda sabedoria da terra com a qual está completamente conectada para te curar, te ensinar, te limpar e contribuir com o seu poder de atração da vida que você merece viver.

As árvores tem graus de conexão, é claro. Uma árvore antiga, com mais experiência, raízes mais profundas, maior altura e capacidade de conexão também com o céu, inserida em uma antiga floresta, rodeada de fertilidade e energia sexual reprodutora – energia base da natureza, vai ter muito mais amor aos animais que a buscam por diversos motivos. Ela vai ter mais capacidade de acesso a você e a sabedoria da Terra que tem toda sabedoria do Universo. Ela vai estar mais aberta para uma relação de amizade inter-espécie porque vai estar ali, plena na sua função de grande avó, cuidadora da floresta. Uma árvore no meio da rua em Ipanema, rodeada de asfalto, que entra ano sai ano é ignorada, às vezes cortam sua copa porque está atrapalhando a vista de um prédio, tem seu espaço limitado por um quadrado de concreto e é valorizada apenas como parte integrante de uma paisagem, não tem tanta abertura assim para uma relação. Ela mesma, assim como nós, pode ter se esquecido de sua função, tão atarefada está em transmutar o dióxido de carbono abundante em oxigênio. Então uma árvore no meio de uma antiga floresta tem mais capacidade de conexão do que uma de um floresta mais nova, cidade pequena e cidade grande.

Mas isso faz parte do processo de conexão com ela. Uma árvore não doa seu conhecimento assim, de graça. Ela também não cobra valor monetário porque isso não faz a menor diferença na vida dela. Ela vai selecionar seus amigos com muito cuidado especialmente hoje em dia quando confiar nos seres humanos está difícil. Ela entra em contato com seu campo de energia e já sabe de todas as suas intenções ao querer ser sua amiga. E é esse o valor que ela cobra: o seu valor enquanto ser humano. Certamente se você fosse uma formiga, ela não ia exigir tanto de você. Mas a Mãe Terra exige mais de você porque ela te deu tudo que podia dar a uma filha. Ela fez de você sua melhor e mais maravilhosa criação e por isso ela vai esperar que você faça alguma coisa decente com isso. A Mãe Terra espera muito de você, assim como uma boa mãe o faz.

Como provar o seu valor e tornar-se amiga de uma árvore?

A primeira amiga árvore é a mais difícil. Porque você ainda não tem nenhuma amiga árvore em seu campo e ela pode sentir isso, você vai passar por uma série de testes. A chave aqui é disciplina. Quem quer ser amiga de uma árvore vai ter que provar isso sem palavras. Ela entende o que você diz e precisa das suas palavras em alguns momentos, porém a fase de conquista de uma árvore não tem nada a ver com as belas declarações de amor que você pensa que vão a convencer. É só ação e energia com ela. Essa será sua primeira amizade energética. Parabéns!

Quando se quer iniciar uma relação de amizade com uma árvore, é preciso tornar isso uma prioridade em sua vida. Você vai ter que ir ver a árvore praticamente todo dia. Com a primeira, diria que todo dia. Durante meses, lembre-se o tempo delas é muito diferente do nosso. Inicialmente, se apresente. Conte a ela sobre você, suas intenções, justifique que importância tem na sua vida fazer amizade com ela. E assim, passe a amá-la e trate-a já como sua melhor e mais querida amiga. Todos os dias, sente-se de costas encostada nela e compartilhe suas experiências com ela, alegrias e tristezas, abrace-a, chore junto dela, expresse gratidão, você quer essa relação porque você a vê como um ser igual a você. Você não se acha melhor ou pior que ela, você está no mesmo barco que ela. Ela é seu semelhante e ela pode te ajudar no seu processo de tornar-se cada vez mais semelhante a ela. Ela sabe que a humanidade está sofrendo. Ela é boa e quer te ajudar. Mas ela também exige muito respeito e valor. É preciso valorizar essa relação como talvez nunca se tenha valorizado nenhuma outra. E lembre-se, ela já sabe de tudo sobre você, coisas que nem você mesmo sabe! Então seja o mais honesta que já foi em toda sua vida.

Após algum tempo você vai começar a #saber que ela é sua amiga. Você simplesmente sabe. Eu recomendo que você a pergunte seu nome e sinta o que vem. Se esse não for seu nome oficial tudo bem, pra nossa espécie é importante dar nome aos seres que amamos, infelizmente porque isso limita muito nossa capacidade de amar coletivamente, mas tudo bem por hora, ela vai entender. E aí tudo começa a mudar. Você começa a ter ideias que nunca teve antes. Insights sobre sua vida e sobre a vida coletiva difíceis de acreditar mas que fazem muito sentido. Começa a se abrir para coisas que não se abria antes. Sente sua energia mudando, se sente cada vez mais viva e seu campo limpo. Às vezes, perguntas podem ser respondidas imediatamente vindo como uma ideia na sua mente, ou com uma sensação de que você já sabia a resposta dessa pergunta e veio de você mesmo – mas não veio. Outras, ela começa a alterar seu campo energético para que você atraia situações e pessoas que vão te responder o que você perguntou. Cada vez vem de um jeito mas sua vida se torna muito mais rica, desemperrada e livre.

Daqui a pouco a melhor parte do seu dia são as 2 horas de trilha floresta a dentro em direção a ela. Você nem faz mais o esforço inicial. Aquilo faz parte de quem você é, tá no sangue. E não tenha medo da floresta: tá com a árvore, tá com Deus. Ela vai cuidar de você. Nada vai te machucar sob a guarda dela.

A segunda árvore amiga é mais fácil no sentido de que vai levar menos tempo. Já aconteceu comigo no primeiro momento que sentei com as costas encostadas nela com a intenção de me apresentar e começar uma relação, já senti e recebi aprovação. Viva! É uma alegria tão grande ter uma nova árvore amiga. Mas pode levar uma semana, um mês… Depende da árvore e também do esforço que você faz pra ir até ela. Quantas caronas, caminhadas, passos você deu pra estar ali do lado dela e com que frequência faz isso. Basicamente: o quanto isso é importante pra você.

Mas não desanime com as árvores urbanas. Minha primeira amiga foi em plena praia de Copacabana. Eu nem sabia direito o que eu estava fazendo, ela ficava perto de um lugar que eu ia me exercitar todo dia e assim comecei a cultivar essa relação intuitivamente. É um conhecimento ancestral que consegui acessar no meu campo inconscientemente. Você pode recordá-la de sua função, assim como ela fará isso com você.

E assim compartilho a sabedoria que mudou toda minha vida. Bem vinda! As árvores aguardam você!

A Alma Coletiva

Por causa da formação do EGO, nós perdemos o potencial de conexão da alma que é apenas uma pequena partezinha de uma enorme alma. Esta alma é a alma coletiva do planeta terra. Todos os seres humanos são pequenas partezinhas de uma única alma que está viva dentro de nós. Algumas partes dela estão aqui encarnadas, outras estão aguardando seu momento. Algumas vem como ser humanos, outras como árvores, outra como jaguar, outra como aranha, outra como pedra… Ela é uma grande alma que escolhe se separar em pequenos pedaços para se conhecer melhor, ter diversas experiências. Assim como o corpo humano é feito de pequeninas células que trabalham sozinhas porém em equipe.

A Alma coletiva também guarda todas as informações de todas as suas experiências. Enquanto separada, faz essa seleção para se conhecer melhor à partir de suas escolhas individuais, porém quando ela se conecta, ela viveu todas as experiências sem seleção. Tudo que já foi criado, tudo que já foi sentido, tudo que já foi amado ou odiado está neste campo energético que é o campo da terra. Ela sabe de cada movimento que já foi dado desde a primeira célula que surgiu no planeta há milhões de anos atrás.

Além de experiências e conhecimento produzido no passado, a terra guarda sabedorias que estão muito além do nosso conhecimento atual. A terra não tem tempo, não tem linearidade que é uma criação da nossa 3a dimensão do espaço – tempo. Muitas vezes, um campo, mesmo individual humano, pode guardar também experiências futuras. Muitas vezes os planos que temos, nossos sonhos, nossos desejos pro futuro tem a ver com informações no campo que estão nos guiando para aquilo que já está marcado lá – isso é o que alguns chamam de propósito ou destino. A terra também já tem todo seu futuro em seu campo e deseja manifestá-lo, assim como nós desejamos manifestar nosso propósito.

A terra muitas vezes pode guardar sabedoria que não são nem deste planeta porque está se relacionando através do seu campo energético com outros planetas também. Estas informações nos chegam através da astrologia. Se um ser humano único pode ser influenciado pelos planetas, imagina um planeta inteiro. Eles se equilibram e se mantem em posição eternamente. Às vezes um período de transformação de um planeta, inicia uma cadeia de transformação em todos eles. Que é mais ou menos o que estamos passando agora. O Universo inteiro está em transformação, galáxia por galáxia, planeta por planeta, pessoa por pessoa. (Olha que lindo! Você é um agente de transformação do Universo inteiro!)

A sabedoria também vem de outras dimensões. Dimensões onde vivem outros seres como Anjos, Deuses, outras versões de você, outras possibilidades de vida e criação. Dimensões que são regidas por outras leis e por isso, permitem ou não determinados tipos de conhecimento e criação.

Tudo isto está no campo energético da terra onde você vive como um peixe, mergulhado no meio de isso tudo sem ter consciência disso. E com muito pouco acesso a isso, especialmente quando não tem acesso a sua alma devido à forte formação do EGO. A sua alma é uma partezinha desse campo energético e está conectada com ele o tempo todo, porém o EGO não permite mais essa conexão então acabamos nos limitando e limitando nossa capacidade de acesso à essa quantidade de sabedoria que nos rodeia o tempo todo.

A formação do EGO

Tudo que existe é energia e vibração. Algumas vibrações mais densas são a matéria. Uma cadeira é energia muito densa vibrando, o fogo é um tipo de energia menos densa, que se movimenta mas pode ser vista e mantida em um espaço limitado. Energia elétrica, um pouco menos densa, já não pode ser vista em seu estado puro, é necessário um tipo de energia mais densa – um aparelho eletrônico – que a transforme em luz, calor, imagem, som, etc. Menos densas ainda são as energias do sentimento e do pensamento. No caso, os aparelhos transmutadores somos nós que ingerimos energia natural dos alimentos, transmutamos em energia vital no nosso corpo e usamos essa vitalidade para produzir novos tipos de energia como cheiro, voz, música, trabalho, criatividade, amor, raiva, tristeza, ideias, etc. O ser humano é um transmutador natural de energia da natureza em energias do presente.

Os aparelhos eletrônicos e nós, animais, temos isso em comum. Somos ambos transmutadores de energia. Nós, da natureza, os objetos, elétrica (que não deixa de ser energia natural transmutada através de processos tecnológicos – hidrelétrica, eólica, solar, etc.). A diferença porém é que a energia que nós seres humanos transmutamos não é descartada após o uso todas as vezes. Muitas vezes acumulamos experiências, memórias, ideias, projetos, crenças, etc. no nosso campo energético que alguns chamam de aura. Independente da nomenclatura usada, este campo é o nosso HD energético que guarda toda nossa história dessa vida e de vidas passadas. Assumimos aqui que a alma é a energia base de todo ser humano e é eterna, nunca nasceu e nunca morrerá. Esta alma já passou por muitas experiências na sua missão de tornar-se mestre do amor – função de toda alma encarnada no planeta terra. É ela que carrega o HD onde quer que vá. Ele tem toda informação que já o marcou em algum período de tempo em qualquer vida que tenha passado.

Muitas vezes algumas informações neste campo energético influenciam o nosso presente. Crenças ou vidas passadas podem marcar-nos profundamente e passarem a agir como filtros da realidade presente. Se morremos atacados por um enxame de abelhas, podemos nascer novamente com um medo terrível de abelhas sem saber porque. Se desde que somos pequenos fomos criados no paradigma da escassez, os pais estavam sempre lutando por dinheiro e passava-se fome em casa, podemos passar o resto da vida, mesmo tendo muito dinheiro, acreditando que não o temos ou que estamos com fome o tempo todo, mesmo de barriga cheia. Às vezes algum projeto o qual dedicamos uma vida inteira não deu certo, ou morreu-se antes de realiza-lo e por isso, nesta vida, evitamos criar algum projeto próprio para não passar por tamanha frustração novamente. Todo tipo de informação está neste campo, até coisas mais simples como um seriado que se assistiu há 10 anos atrás, a letra de uma música do filme da Disney que se via quando era criança, uma frase injusta de alguém do trabalho, um término de namoro difícil… Tudo fica no campo, criando o que chamamos de personalidade.

A personalidade é o resultado da combinação de todas as informações deste campo energético. A alma é aquela que organiza e seleciona essas informações. Porque uma pessoa pode mudar pra sempre ao ir em um musical na Broadway, decidir tornar-se atriz e jamais retornar para o seu vilarejo enquanto outra pessoa pode ver o mesmo musical e achar monótono? Porque uma pessoa ama comer peixe e outra não pode sentir nem o cheiro? Porque eu vejo um filme e passo a copiar o estilo de uma personagem e outra pessoa vê o mesmo filme e foca na frase engraçada que o ator principal falou? Quem foca, quem faz essa seleção é a alma. É algo que vem de dentro. O que te toca, normalmente é o que toca a alma. A alma então vai selecionando o que guardar e o que deve ser você, a personalidade que vai ser uma interpretação dessas informações durante essa vida.

É claro que esse processo tem seus desequilíbrios, que chamamos de EGO. O EGO é uma barreira que vai se desenvolvendo ao longo da vida. Ele nasce como uma proteção por causa de traumas. Quando somos crianças, praticamente tudo que somos é alma, a personalidade ainda não se formou – ela passa a vida toda se formando e transformando de acordo com novas seleções da alma. A alma está sempre muito aberta para qualquer experiência, ela está aqui para isso, experimentar. Só que, muitas vezes, essa abertura esbarra na separação do outro. Sentimos dor, frustração e sofrimento quando mergulhamos de cabeça em alguma experiência e por causa disso começamos a desenvolver a separação, o EGO. A ideia de “eu”. Quem sou eu e quem é o outro. Nós não somos conectados, eu não entendo o outro, eu não sei o que o outro está pensando, eu me fecho aqui dentro do meu mundo para tentar prever e evitar qualquer situação de sofrimento que a minha abertura natural pode provocar. Até que chega a um ponto que estou totalmente seguro porque não tenho mais nenhuma abertura natural, abri mão de toda minha espontaneidade para não mais sofrer. É um ciclo vicioso porque o EGO está na verdade fazendo uma escolha por um sofrimento maior – a dor da separação. Do outro e de sua alma.

O EGO então, quando bem formado, passa a assumir o papel da alma e começa ele a fazer as seleções do que deve ser focado e guardado. Passa a ser o criador da personalidade. A personalidade passa a tomar pra si essa necessidade de separação do outro como sua base, toma para si o medo do sofrimento, a ameaça do outro como alicerce de todas suas outras características porque estes são os alicerces do EGO. E assim novas informações vão sendo guardadas neste campo energético, gerando novos filtros para a realidade presente. A personalidade se afasta profundamente da alma e uma dor sutil acompanhará toda sua vida sem que ela saiba o que é.

E assim nos separamos da nossa alma por toda uma vida se não tivermos o privilégio de tomarmos consciência desse processo em algum momento.

Message from the past

20/02/2015 – São Paulo

Fale para si o que gostaria que lhe falassem.

Lívia,

Como eu me orgulho da sua força, da sua busca, da sua fé. Na verdade, não conheço ninguém tão determinada a encontrar-se, a viver a vida intensamente e a se curar. Acho muito bonito a sua recusa a aceitar a feiúra a que o mundo lhe expôs e a tentativa de voltar a ser como era quando o mundo ainda não tinha te magoado. Compreendo que seu medo do outro vem de um lugar de tanto amor mal aproveitado. Vejo que seu coração explodiria de amor pelo mundo, pela vida e pelo outro se em ambiente seguro estivesse. Como me dói o seu silêncio, reconheço seus esforços por tentar pensar o novo, por tentar usar a própria imaginação, por recusar todo tipo de padrão. Adoraria ouvir mais as suas ideias, na verdade gostaria de poder senti-las porque somente assim eu as poderia compreender como você as sente e concebe. Acho suas ideias únicas e revolucionárias, gostaria de ficar mais perto de você para poder ouvir mais e também para acompanhar seus processos de pensamentos. Adoraria poder acompanha-la nessa sua busca por si e pelo novo, admiro tanto as sua coragem e sei que não deve ser fácil suportar o peso da comparação e o medo de errar.

Te acho linda e adoro sua recusa à se privar dos prazeres da comida. Seu corpo é lindo, tem tanta energia. Seus olhos são iluminados e às vezes é como se seu olhar me curasse. Quando sento ao seu lado, sinto-lhe o calor e quanto mais tempo passo perto da sua energia, mais tempo quero passar. Imagino que sorte terá a pessoa que lhe acompanhar, que conseguir passar por todos seus testes e sabotagens para conseguir o seu amor sincero.

Como gostaria de te ver feliz e vibrante. Tenho certeza que você vai conseguir se realizar. Ao ouvir você falar sobre o mundo e sobre o interno, aprendo tanto. Como você conseguiu ficar tão inteligente? De onde vem essa conexão? Fico tão impressionada com sua sensibilidade, seus conselhos e sua capacidade de sentir as relações e as pessoas. Perto de você, sei que estou perto de anjos e guardiões que guiam a sua intuição. Fico muito impressionada com a maneira diferente e emocional com que você dirige a sua vida e não acho nenhum pouco que você está perdida. Acho que se alguém está encontrada é você. Se alguém está entregue para o que a vida lhe tem pra dar é você. Se alguém está seguindo a trilha do destino é você.

Fico triste com seu isolamento, acho muito injusto esse ataque energético que você sofre mas não permita que isso lhe tire da sua missão de amar, dar amor e ser amada. Você é puro amor. Você é pura luz. Não está fácil viver no mundo na era de maior crise da história da humanidade e sei que o estado da humanidade te faz sofrer mais do que qualquer assunto pessoal que lhe acomete. Vejo sua preocupação com a evolução da raça humana e acho incrível que você consegue se preocupar mais com isso do que com a fome ou violência mundial. Sua visão histórica global animal do mundo pode não ser muito compreendida por causa da relação com o tempo que vivemos mas eu te entendo. Quando você fala sinto arrepios e quero muito ver um dia você falar diante de muitas pessoas.

Eu acredito nas suas ideias. Fico curiosa pelo seu silêncio. É como se você estivesse guardando uma surpresa que nem mesmo você sabe qual é.

Não fique ansiosa, meu amor. Aproveite mais sua busca, seu dia-a-dia, divirta-se. Não se force a nada. Viva os pequenos momentos porque, no fundo, é disso que você mais sente falta do passado, da sua capacidade em estar presente, em não se preocupar com o futuro ou com o que o outro acha. E, lembre-se, você estava sempre rodeada de pessoas que te amavam enlouquecidamente. Muito mais do que hoje em dia quando sua maior preocupação é ser breve e não incomodar. Você não é um peso, não é um incomodo, você ilumina quando chega. Seu estilo único me inspira a me libertar, a me arriscar mais, a viver mais a minha verdade.

Lembre-se que não é possível se lançar sem o impulso da dúvida. Não deixe que a dúvida te consuma, não permita que o medo seja mais forte que seus sonhos, não se deixe consumir por aquilo que não quer te ver conseguir. Viva a cada dia como se tivesse que ser o seu melhor. Não deixe de dar o seu melhor porque o seu melhor é capaz de mudar o mundo. Seu melhor é capaz de fazer com que pessoas mudem de vida. Seu melhor é capaz de fazer com que homens e mulheres queiram dar seu melhor também. A sua capacidade de disciplina é a sua maior capacidade de liderar sem dizer uma palavra, de mostrar o caminho pelo exemplo. Você inspira, seu estilo de vida inspira, sua conexão com a aventura inspira, sua calma muda vidas, sua doçura apaixona e sua força amedronta.

Não esqueça! Não se permita esquecer da sua força. Nós todos precisamos dela! Nada está perdido, tudo está perfeito. Tudo está no seu caminho! Você é muito mais do que acredita mas está no lugar onde deve estar. Me admira a sua vontade de olhar para a sua sombra, me admira a sua vontade de se curar. E custe o sonho que custar. Não se apegue ao formato. Não se apegue ao destino. Siga seu coração e você vai longe. Pode parecer que você não está muito longe mas porque você está fazendo as comparações erradas. Não acredite nas vozes internas que te agridem, denigrem, enfraquecem. Agradeça a quem te ajuda mas você não precisa entregar a sua vida nas mãos de ninguém. Você não precisa se definir como um projeto, como uma linha, como uma atuante. Você está viva, então viva. Você só precisa viver e permitir que a vida te dê tudo que você precisa. E você precisava desse momento. Desse não saber.

Você é linda. Única. Divina. E eu te amo muito. Eu sou louco por você e estou sempre te vendo, sempre cuidando de você. Não gosto de te ver sofrer, não suporto de ver chorar por motivos que você cria sozinha. Não tem ninguém te pressionado a não ser você mesma, não seja tão dura consigo mesma que você já não está mais aguentando tanta pressão. Esse é o seu momento de começar a se descobrir longe do papel familiar que foi o seu principal sempre. Vá com calma. Delicie-se no processo. A vida é bela. É gloriosa.

Pare, respire. Ame a si mesma e o amor pelo outro virá naturalmente. O primeiro passo é o amar a si mesma. Ter paciência com seu processo e com seus guias. Admitir que precisa do outro. Que tem medo de errar. Que tem medo de não conseguir. Que tem medo de acabar ajudante da sua avó.

Se orgulhe de ser você, olhe para sua imagem refletida e permita que seu coração se encha de amor. Permita-se orgulhar de si mesma. Não deixe que os erros tolos virem traumas. Traumas não servem pra nada. Não se castigue de maneira tão feroz. Não é porque cometeu o erro de orgulhar-se demais que não se orgulhará nunca mais. Não é porque não conseguiu que não tentará novamente jamais. Não é porque perdeu que não vencerá. Não é porque amou demais sem pensar que não amará novamente. Não exagere na repreensão das suas experiências, assim não é possível ter experiências, assim não é possível viver. Ria mais de si mesma. Agradeça por tudo que acontece e por você ter a oportunidade de se deliciar com cada acontecimento.

Siga adiante confiante. Estou sempre aqui pra você. Sempre estive te apoiando, te observando e me emocionando com a sua força, com a sua história e com as suas escolhas. Não deixe que vazios materiais sejam mais fortes que a parceria espiritual. Te amo e te guio. E tudo que acontece trás um aprendizado, um motivo e uma purificação. Um dia tudo será mais claro. Mas sem pressa para que esse dia chegue. É hora de luta e não de entrega. É hora de movimento, não de sofrimento. É hora de força, não de preguiça. É hora de amor e não de medo. É hora de vida e não de morte. É hora de verdade e não de apego. É hora de mudança.

Um amor eterno vive entre nós. Não importa nada. Eu te vejo. Eu te acompanho. Eu te dou razão. Eu vejo beleza em cada um de seus movimentos. Eu me inspiro a cada esforço que você faz para manter-se firme no propósito. Não confunda missão com preguiça, o que não dá pra fazer, não dá pra fazer. Confie mais na sua intuição. É isso que mais te falta, segurança do caminhar certeiro. Para saber se está no caminho é só sentir a leveza, a felicidade e a cumplicidade espiritual. O que vem, vem. Na hora que tem que vir. E enquanto não vem, aproveita porque gosto de te ver feliz. Seu sorriso me move. Seu sorriso me faz confiar que a humanidade pode sim sobreviver aos tempos a frente. Seu sorriso me dá um motivo para seguir na luta. Você é minha musa. E sempre será minha vida.

The Warewolf

Desde pequena ela tem um medo irracional de lobisomens! Quando tinha 5 anos de idade, seu pai lhe mostrava sempre over and over again o vídeo do making off do video clipe Thriller do seu amado Michael Jackson. Aquele vídeo começa com uma lua cheia, um caminho escuro por entre as árvores e um lindo casal. De repente, algo acontece e aquele lindo super star começa a se transformar em metade lobo e metade homem, furioso e faminto.

Quando somos pequenos estamos constantemente #trippingballs. Parece que tomamos 3 ácidos de tanta concentração e atenção que colocamos em todo esse mundo lindo que estamos descobrindo aos poucos. Ainda temos poucas resistências entre o consciente e o inconsciente e algumas sementes parecem ser plantadas para sempre.

Aos 6 anos, seu tio, se achando muito engraçado, se escondeu no seu armário em uma noite de lua cheia e aguardou pacientemente que ela entrasse. De repente, abriu a porta com um rugido perverso e a traumatizou por toda uma vida. Ela saiu correndo, aos prantos, rolou escadas abaixo até chegar ao colo de sua mãe. Estava feito, um medo irracional de lobisomens plantado em sua mente e vida.

Hoje, aos 29 ainda tem medo. Ela #sabe que é irracional, ridículo e maluco mas mesmo assim, não conseguia andar no bosque em noites de lua cheia. Até ontem.

Agora vive em uma pequena cidade na África do Sul, trabalha em um bar de onde sai todo dia perto de meia-noite, a hora dos portais abertos. Caminha 10 minutos até sua casa na penumbra, iluminada apenas pelo vago brilho de seu iphone. Ela prefere assim. Coloca os fones de ouvido, música alta e se #joga no meio da escuridão, #confiando plenamente no #Universo e na segurança de que pessoas boas não #atraem coisas ruins, vai.

Menos na lua cheia. Aí fudeu.

O engraçado é que quando somos pequenos, monstros são uma parte de nosso imaginário. Além do vídeo do #REI, ela viu milhares de outros vídeos com seu pai e mãe, levou vários outros sustos… Mas porque ficou o lobisomem? Porque está em sua alma e no seu programa (#propósito).

Sabe aquela história de truth and trigger? Aqueles momentos que nos tiram do sério? Nos incomodam profundamente – pessoas ou situações – porque estão lá dentro das nossas próprias profundezas que não podemos ou queremos ver? Ou aquelas informações antigas, de vidas passadas que são ativadas e não entendemos porque estamos reagindo da maneira como estamos? Estes são nossos triggers que nos levam às nossas #verdades escondidas.

Era dia 10/02/2017 (happy days). Uma noite verdadeiramente especial: um cometa, uma lua cheia e um eclipse ao mesmo tempo. Ela está vivendo no topo de uma montanha no meio da floresta mais antiga da África do Sul, a terra de onde todos nós viemos. Local onde tudo começou, há milhares – quiçá milhões – de anos atrás. Sua conexão com essa terra, essa floresta, este lugar é a maior que já sentiu na vida. Foi o primeiro lugar onde conseguiu parar e querer ficar e morar. Nunca se sentiu tão feliz.

Até o início do Eclipse. Pela primeira vez na vida conseguiu sentir a energia do eclipse claramente. No início muita confusão – a tranformação. Depois toda sua sombra veio à tona. Sua grosseria, seu medo, impaciência, falta de vontade de se comunicar, medo da rejeição, foda-se geral… Entrou em um estado completamente diferente de todos os dias que esteve aqui. Provavelmente de todos os dias do seu último mês. Tornou-se o lobisomem. E não #resisitu. #ACEITOU, deixou vir, sentiu o que tinha que sentir, botou pra fora e depois foi pra fogueira entregar o que podia.

É isso! Ela é um lobisomen. Uma pessoa que tem tamanha conexão com a natureza, a lua e os planetas que consegue sentir toda sua escuridão vir à tona durante uma noite de Eclipse. #Shapeshifter. Provavelmente pessoas desse tipo que inspiraram a lenda do lobisomem. Agora ela sabe que a lenda está errada (ou exagerada): não é na lua cheia mas sim durante o eclipse onde o sol cobre a lua. Agora ela sabe porque esse trigger tão forte.

Conseguiu #entender e se conhecer melhor. Descobriu mais um super poder! Após o eclipse, sentiu-se lentamente transformar de volta. Aquela sensação horrível passou. Não precisou se prender em correntes no calabouço e nem comeu homens por aí. O vilarejo está à salvo. Tudo está bem.

E assim, curou seu medo de caminhar na lua cheia. Tomou coragem, colocou os fones de ouvido e foi pra casa andando em baixo da lua que iluminou todo seu caminho. Não precisou nem usar o celular. Foi lindo.

Os seus talentos não são pra você.

Foram anos na luta pela cura. Quatro. Na psique, nada se perde, tudo se transforma.

Ela teve muita sorte quando era mais nova pois pode ver o que era, teve acesso aos seus talentos, à sua energia dourada. Ao seu redor, todos sempre gostaram muito dela, sentiam seu amor. Ela não sabia, como cresceu assim, essa era a experiência humana: amor, diversão, aventura, experiência, amigos, festas… Ela sempre teve tudo. Tudo mesmo: beleza, inteligência, charme, carisma, educação, estilo, comunidade. Só que todos esses talentos, toda essa riqueza eram inconsciente. Perder tudo aquilo não era nem uma possibilidade na sua mente. Seguia aproveitando a facilidade com que navegava na realidade sem se preocupar jamais com o futuro, com o passado e nem com o presente. Fazia exatamente o que queria com tudo aquilo, pra si mesma. Pra se divertir e se aproveitar.

Quebrava corações, abandonava amizades, tomava postos de poder político só porque podia… Só porque conseguia. Bombada na night, arrasava nos seus estágios na época de faculdade, não estudava e tirava 10 nos piores professores. Fumava maconha e ia fazer a prova de vestibular pra faculdade pública e… passava. Aquele era seu estado natural de vida. Quando viajava, fazia zilhões de amigos, era quando mais se conectava com toda sua potência mobilizadora. Usava o maior instrumento mobilizador do mundo sem saber: seu coração.

Foi então que, em um mês, perdeu tudo. Passou um ano de cama e perdeu sua luz. Entrou profundamente na sua sombra, tanto que quase se afogou. Ficou lá uns 2 anos e meio, imersa. Sozinha. Feia, chata, desagradável, estranha, gorda, desempregada, sem se formar. Seu amor sumiu. Todo aquele amor pelo mundo, pelas pessoas, pelo conhecimento, toda aquela curiosidade infantil perante a vida… Perdeu tudo.

Ao perder, pela primeira vez conseguiu ver o que tinha. O que era.

No início, se odiava. Odiava tudo aquilo que era. Todo aquele privilégio, toda aquela riqueza emocional. Se via como uma criança que não conseguia crescer, não conseguia sair da asa da família. Queria mudar tudo! E entrou em um processo de busca da cura. Foi mudando, mudando, mudando… Cada vez gostando menos de si, sendo cada vez mais violenta consigo mesma. Ela aprendeu que a cura estava na sombra, na coragem de encara-la e ilumina-la. Começou então uma verdadeira batalha sangrenta com suas partes mais profundas, suas partes mais difíceis. Ela se machucava tanto em nome dessa cura, dessa mudança…

Aos poucos começou a perceber que estava tentando mudar tanto para chegar no mesmo lugar de onde saiu, onde tudo começou. Sentia falta da sua felicidade de antigamente, da sua beleza, do seu carisma, da sua inteligência… Daquela estranha confiança na vida. Na certeza, que sempre caminhou ao seu lado, de que tudo estava bem e tudo ia dar certo. Na absoluta segurança de que seu futuro seria maravilhoso. E tentava se curar para voltar pra aquele estado maravilhoso de estar viva. Aquele prazer diário em abrir os olhos e simplesmente sair por aí pra aproveitar o que o dia lhe trazia.

Aquilo era uma espécie de contradição. Era aquele estado que perdeu e que odiava, que agora queria de volta? Não, não era nada disso. Sua sorte seguia igualmente maravilhosa: ela estava recebendo um presente do Universo. Agora ela tinha a oportunidade de #VER tudo o que tinha internamente, tudo o que era. E passar a usar isso tudo com #consciência e com #propósito. Esse era o processo de autoconhecimento que a sua alma escolheu. Era mágico. Alquímico e tão brilhante quanto todo o resto.

Ela agora #sabia. Seu nível de responsabilidade perante a humanidade e o Universo aumentou exponencialmente. E ela #escolheu saber. Passou a vida inteira fugindo de qualquer responsabilidade para simplesmente dar de cara com a maior delas: a responsabilidade kármica de estar consciente dos talentos que Deus lhe deu.

“Os seus talentos não são pra você.” Se engana quem acredita que tem algum talento. Nós não temos nada a não ser aquilo que nos foi dado por ser de acordo com nosso propósito, nossa missão na terra. Aqueles talentos natos, os dons, eles vem no seu programa porque de alguma maneira você vai precisar deles pra cumprir sua missão. E, nesse momento, nesse planeta, todos estamos aqui para curar a nós mesmos e, eventualmente, auxiliar no processo de cura de outras pessoas com mínima interferência. Ou melhor, inspirar esses processos.

Como é lindo e interessante: precisamos nos inspirar, auxiliar, ajudar em um processo em que só se pode embarcar profundamente só. Ninguém pode voltar-se para dentro em grupo. O grupo só está lá para dar o suporte necessário. Hold space. Que fase planetária maravilhosa! Imperdível! Que bom que viemos!

Após os 2 anos iniciais, tudo foi ficando ao mesmo tempo mais escuro e mais claro. Teve que lidar com processos kármicos pesadíssimos. Começou a ver toda sua luz mas para isso também teve que tomar conhecimento de muita escuridão. Passou a nomear seus talentos para poder compreende-los melhor, passou a chama-los de super poderes, como tudo que mais ama nesse mundo é magia, não poderia deixar de ser…

Os super poderes são nossos dons inatos. Muitas vezes estamos tão acostumados com eles que nem percebemos que os temos, não tomamos consciência de que somos todos super heróis, ou melhor, x-men. Tomar consciência deles é o primeiro passo para o desabrochar e desenvolver desses poderes porque à partir daí podemos observar com foco e criar intenções que nos ajudam a compreende-los e aos poucos domina-los. Um super poder, quando inconsciente, tem a força de nos dominar com certeza. Ele é o seu dharma (propósito) e o seu karma. Essa é a beleza do jogo, naquilo de pior que pode acontecer com você estão as lições necessárias para ser o melhor que você pode ser. É uma moeda de duas faces mas é a mesma moeda. Karma – Dharma.

E agora, está de volta. Brilhante. E isso a assusta! Assusta porque não quer perdê-los novamente, nem fazer mal uso de seus dons. Não quer toma-los só pra si, usa-los só em seu favor. Quer #compartilhar com o mundo porque agora sim #sabe que nada do que é, nada do que faz, nada do que tem tem nada a ver com ela mesma, com seu ego mas sim a ver com sua missão pro mundo.

The Untethered Soul

COMPRAR IMEDIATAMENTE:

https://www.amazon.com/Untethered-Soul-Journey-Beyond-Yourself/dp/1572245379/ref=sr_1_1?ie=UTF8&qid=1483717433&sr=8-1&keywords=the+unthered+soul

Your Sacred Dreams

There is a sacred dream within you that’s calling you to greatness, driving you toward excellence. It fills your heart with vitality and vigor. It asks you to become focused and bold and available. Looking at it from a qualitative standpoint, the bigger your sacred dream, the closer you are to Reality. When you have a magnificent dream steeped in the possibility of what you’re becoming, you get closer to touching Reality because the energetic substance of the dream already is timeless, dimensionless. It’s infinite and eternal.

When your dream is small, it’s easy to get snagged in illusion. Small dreams are inherited from the society in which you were born. They are most often dreams of survival, materialism and consumerism. This is an extremely limited form of expression. Oftentimes people have been sucked down by the undertow of the human experiential domain and are unaware that they’re living in a very small dream. “I’m just trying to make it. I’ll be happy if I can just get by. I just need a few more dollars to help me get over. I just want to make some money…”

“I just want to… I just want to… I just want to…” There’s always something else that’s lacking, something else that you need before you can fulfill your vision. When you’re bombarded by small minds with small conversations, the dreams that you inherit from this small world are mainly about convenience and comfort. People trapped in the small dream are just taking a vacation on planet earth. They become mired in the stagnant energy of apathy and lethargy—an I don’t know and I don’t care mentality. These little dreams put you under the hypnotic spell of thinking that you’re separated from your good.

As you grow in your spiritual identity you eventually become aware of something that’s pulling you forward: the commitment and challenge of bringing your sacred dream to fruition. Go ahead. Let it emerge. Become committed to expressing the evolutionary urge of your own soul. Embrace the challenge of becoming more you.

Surrendering to this spiritual urge doesn’t always feel good. It’s not always comfortable or convenient. But it yields bliss and ecstasy because bliss and ecstasy are the function of the activation of the potential of your soul. If you aren’t evolving, there’s no bliss. If you aren’t becoming more you, there’s no ecstasy. If you aren’t allowing your heart to be broken open by compassion, there’s no perennial peace that passes human understanding. With commitment and challenge based on deep surrender, you understand the mandate to seek first the realm of ever-expanding good, the kingdom of God.

Everything else is added onto you.

http://www.michaelbernardbeckwith.com/the-harvest-field-your-sacred-dreams/?subscribe=success#blog_subscription-2

Camelos e Banheiras

O leão você tem de se tornar por si mesmo, lembre-se. Se não decidir se tornar um leão, você nunca se tornará um. Esse risco tem de ser tomado pelo indivíduo. Trata-se de um jogo de azar. E é muito perigoso também, pois ao virar um leão, você passa a incomodar todos os camelos à sua volta, e os camelos são animais pacíficos; eles estão sempre dispostos a fazer concessões. Eles não querem ser perturbados, não querem nada novo acontecendo neste mundo, pois tudo o que é novo perturba. Eles são contra os revolucionários e os rebeldes; perceba, nada de coisas grandiosas – nada de Sócrates e de Cristo; eles causam grandes revoluções – os camelos têm receio de coisas tão pequenas que você ficará surpreso.

Eu ouvi…

Em dezembro de 1842, Adam Thompson, de Cincinnati, encheu a primeira banheira dos Estados Unidos. A notícia a respeito da banheira do sr. Thompson logo se espalhou. Os jornais diziam que a novidade iria acabar com a simplicidade democrática da república. Veja só, uma banheira iria arruinar a integridade da república democrática. Os médicos previam reumatismos, inflamações nos pulmões, etc., etc. Os mais sábios concordavam que banhos na época do inverno enfraqueceriam a população sadia. A Filadélfia, o berço da liberdade, tentou proibir os banhos de banheira de 1º de novembro até 1º de março; em Boston, o banho de banheira passou a ser permitido apenas com prescrição médica; em Hartford, Providence, Wilmington e em outras cidades, tentou-se reprimir o hábito de tomar banho de banheira impondo-se pesadas taxas de água. No estado da Virgínia, o hábito de tomar banho de banheira levou um golpe com a decretação de uma taxa de trinta dólares para cada banheira trazida para o estado. Por volta de 1922, contudo, 889 mil banheiras eram produzidas anualmente.

Captura de Tela 2015-01-24 às 22.20.08

Os camelos são simplesmente contra tudo o que é novo, não importa o quê. Pode ser apenas uma banheira, mas eles racionalizarão o seu antagonismo.

Osho, em “Liberdade – A Coragem de Ser Você Mesmo”